Histórias e "causos" que aconteceram com a turma do Voo Silencioso

Térmica gigante e receptor xing ling

User Rating:  / 0

fling orange
Voar com receptor "xing ling" e pegar uma térmica gigante não dá certo! Foi o que ocorreu comigo no voo de domingo (07/10/2012).

Eu voava um Fling (1,23m) com receptor Orange R610 (xing ling da HobbyKing) no Morro da Capelinha – Planaltina/DF, pois foi um dos poucos momentos em que o vento havia alinhado leste e está perfeito para planar. Já eram mais 5hr da tarde e até estranhei a termal que entrou. O modelo subiu, deve ter ido a uns 350 metros de altura e quando vi que poderia ter problemas com sinal do receptor... decidi “picar” e foi ai que percebi que já não tinha mais comando nenhum do modelo.

Bateu o desespero, mexia em todos botões do rádio e nada. Dai decidi desligar e ligar o rádio novamente... continuei sem comando, mas foi então que o leme do modelo se virou e ele começou a baixar rodando e passando para trás do Morro.

Tinhamos a noção da posição da queda do modelo e todos os amigos do voo saíram para tentar avistá-lo de pontos diferentes.

Anderson e Ivo conseguiram identificar o modelo num descampado, mas não sabiam como seria feito o acesso, pois já estava escurecendo e não conhecíamos as rotas que poderiam ser tomadas para se chegar de carro o mais próximo possível do modelo.

Fomos de carro buscando encontrar uma estrada que chegasse próximo de onde avistamos o modelo, mas sem sucesso. A noite caiu e decidimos abortar a missão e fomos para casa. Em casa, com ajuda do Google conseguimos ter uma noção melhor do local e vimos que o acesso seria por uma entrada próximo ao Colégio Agrícola, pois parecia ter uma estrada de chão que chegava bem próximo do local da queda.

O modelo passou a noite no relento e no dia seguinte pela manhã (umas 7hr), Eu e Anderson fomos ao encontro dele. Levamos um binóculo e formos ao ponto onde o modelo havia sido identificado para certificar de que era ele mesmo... e ERA! Dai segui sozinho até a estrada que havíamos mapeado pelo Google.

 275-Aviao - 07 10 2012

Resultado: depois de muitos arranhões de galhos no dia anterior, cheguei de carro pela estrada de chão até bem próximo do modelo, caminhei alguns metros e o encontrei de dorso com a asa e canopi intacta, mas com o tubo de fibra da cauda quebrado.

Ufa... Graças a Deus e aos amigos do voo, principalmente aos que estavam no local: Anderson, Ivo, Jr. Rabelo, Hérika e Montaro... o "filhinho do papai" está de volta ao seu habitat e com pequenas cirurgias em breve estará voando novamente.

Obrigado a todos!

 Mapa da queda:fling perdido achado

Pós Crash - Easy Glider Pro perde metade do estabilizador horizontal

User Rating:  / 0

Voando no Morro da Capelinha, Planaltina/DF, e com céu meio congestionado de aeromodelos um choque não intencional, assim espero rsrs, entre o planador do Ivo e o meu Easy Glider Pro (Multiplex), nos levam a uma reflexão sobre o comportamento do Glider em voo.

Após choque entre os dois planadores a metade do estabilizador horizontal do Glider Pro quebrou, mas continuou voando e comandando perfeitamente, pois o link do profundor não foi afetado. Pouso foi tranquilo e nada que bastante cola não resolva o problema. :)

DSC04410

Sem mágoas, Ivo e eu aprontamos outros modelos e continuamos a voar...

 Veja vídeo do Glider Pro voando após perder metade do estabilizador horizontal.


Reflexão do comportamento do aeromodelo: como foi possível?? Isso é normal?? O modelo parece ser bastante eficiente?? A Multiplex está de parabéns??

 

"Aeromodelo com Controle"

User Rating:  / 0

Já faz algum tempo (+- agosto/2009), mas gostaria de eternizar aqui no blog o desaparecimento do finado Oriole “modelo pronto” que trazido do Paraguai pelo, hoje, nosso companheiro de voo Mair, teve seus dias contados e comprometidos por um dia de muita térmica.

O Oriole possui apenas 2 canais (acelerador e leme motorizado), 108cm de asa e que somente faz curvas regulando a potência dos dois motores que possui em cada asa. Ou seja, avião sem profundor algum desce como?? Ah fácil essa resposta… quando o vento acabar, certo? Escuta só essa então…

O Mair novo no hobby chegou com a seguinte missão para que nós o ajudássemos a aprender voar seu Oriole. O pessoal da turma do Voosilencioso sempre muito solícito encarou o desafio e foi ai que como num passe de mágicas lá estava o avião no ar, na encosta do Morro da Capelinha – Planaltina/DF (local bastante alto, com boas térmicas e propício ao voo de encosta).

Eis que eu, Alessandro, que tinha colocado o avião no ar… entreguei o controle do mesmo ao Mair para que aprendesse a voar e num é que ele já parecia conhecer bem do hobby. Voou bacana, fazia as curvas direitinho… só tinha um probleminha… a cada curva o avião subia um pouco mais! Pronto! Quando me deparei com a atual altura do “modelo” era tarde demais para pegar o controle de volta… ele havia entrado dentro de uma térmica gigante e nada mais o fazia descer… ele estava bem trimado e a tendência era só subir e subir… Rapaz esses 108cm desse avião foram virando somente um pequeno ponto no céu até desaparecer completamente de nossas vistas… agora pense?? Como ficou minha cara? O que eu ia dizer pro dono? Eh dizer nada! Todos vimos diante de nossos olhos o avião simplesmente desaparecer…

Resultado: Nunca mais tivemos notícias do finado Oriole que com sorte deve estar num lugar especial no céu dos aviões… Eu e Mair, sem mágoas, hoje voamos juntos… na verdade o Mair parece ter ficado meio traumatizado pois hoje é mais construtor do que piloto. Hehh. Fica a lição… “modelo” sem profundor somente serve para o descrevermos entre aspas e nunca para voar do alto de um morro!

DSC00939 Oriole Mair
Iago, Mair, Harlan, Alessandro

Desenho: Hérika Rodrigues

 

Additional information